Amor trans-histórico

Marcador de páginas antigo de Rilke.
Interrupções de um passado.
E atrás do marcador, um rascunho de poesia:
Diana mitológica, meu amor por ti é flecha.
Uma raridade!
E atrás do rascunho da poesia, uma lembrança.
Interrupções de um passado.
E atrás da lembrança, eu aqui na minha varanda
com um livro antigo na mão.
E atrás de mim, eu poeta escrevendo esses versos.
E atrás deste poeta, você lendo esta poesia em um livro qualquer, sem páginas.
E atrás de você leitor, Diana:
foi há muito tempo atrás.
Interrupções de um passado.
E atrás de Diana, mais lembranças.
E atrás de suas lembranças, um livro antigo de Rilke.
E atrás desse livro, o próprio Rilke.
E atrás de Rilke, uma paisagem com Salomé fugindo chorando.
E atrás de Salomé, um rascunho de poesia:
Salomé, meu amor por ti é flecha.
E atrás dessa flecha trans-histórica,
nossos destinos com olhos abertos lacrimejantes trêmulos eternos.

Ramon Alcântara