Poética IV

Eu sou o não que foi
entre a última e esta poesia
e serei o mesmo
até que outra emerja
nesse mar de carne e osso.
Hiato inexplicável à deriva.
Tudo que não sou é dito
nessas linhas, como ondas.

Ramon Alcântara