Reconhecendo erro... por favor, aguarde...

Se eu não sei porque a gente ama,
como saberei modos para desamar?
Sou agente de outras coisas:
invento vidas que não existem,
manipulo drogas para convalescer mortes,
hospedo almas moribundas.
Sou sábio das incertezas.
Não me pergunte nada sobre inocências,
sou néscio em erros.
Pois minha matéria é o momento
de eclipses cardíacos.
Não, eu não sei como desamar!

Ramon Alcântara