Curioso como as coisas... (Série Poesias Velhas Achadas)

Curioso como as coisas
perdem seus sentidos
com o tempo.

Ontem rasguei uma
tonelada de cartas
de amigos antigos.
Agora sinto-me mais
só.

Ramon Alcântara