Gozo

O sorriso disfarçou o choro,
o cabelo escondia o rosto.
O silêncio calou o coro,
nada mais revelava o todo.
O sexo tapou o fogo,
o buraco era o topo.
Corações foram enrolados em rolos,
a verdade invertida no dorso.
O amor me deixara bobo,
confessava-me outro.
O limite não passou de um jogo,
que a vitória me deixava louco.
Mesmo que para eles seja pouco,
assinei essa poesia em seu corpo.

Leve-me em cada gozo.


Ramon Alcântara