Flávio Viegas Amoreira


os frutos que me alimentam
vêem de flora peculiar
não têm raízes, nem troncos
eles (os frutos) burlam a gravidade de newton
ascendem e originam galhos finitos
galhos e frutos que sobem e mais galhos
dão árvores divinas
remetem a deus

mas eu burlo sua burla
quando tenho fome
viro o mundo de ponta-cabeça
e os anjos repetem seu canto
eterno: a man!

Ramon Alcântara