Ainda lendo a poesia de ontem V

Continua...

____

Metáforas

Se eu grito,
não é para que você se afaste,
é para que você me escute.

Se eu corro,
não é fuga,
é para que você me siga.

Se eu caio,
é para que você me segure.

Se eu choro,
para me consolar.

Se calo, é para ouvir poesias.

Ramon Alcântara

____

Uma criança carrega outra...

Uma criança carrega outra criança...
A que está sendo carregada já é pó, a outra será...
Dá muito trabalho carregar pó, quando seus pés estão virando pó...
O vento...

Ramon Alcântara

____

Lágrimas II

Eu vazo
eu inundo
eu ensopo
e o rodo me roda
pra aquele lugar

e o cano me traz de volta.

Eu deságuo, diluo
eu enxáguo
eu inturgeço
e a mão comprime
pra me expurgar.

Vou com o torcido
espremido
empoço
e o pé me pisa
me espirra a esmo.

O vento me leva
eleva, escorro no ar

e vou por aí
sem meu choro acabar.


Nem todo sol ardente...
Nem o vento secante...
Nem a concretude tangente...


Rio, choro e ranger de dentes
me desembocam no mar.

Ramon Alcântara

____

Naquele último abraço

Se eu pudesse escolher,
ficava naquele
último abraço,
eternamente...

Mas como não posso,
vou-me embora
de passo em passo.

Deixo com você
tanta tristeza
de assim ser.

Levo comigo
tanta tristeza
de não poder.

Se eu pudesse...

Mas como não posso,
fico com o imposto
da lembrança.
Saber que naquele
deixei o que importa em mim
sobre você.

De um passo errante,
um outro mais e outros ainda mais
e mais outros mais...

E como não posso,
como não posso...
tanta tristeza.

Onde vamos,
com esse fado,
desatando os últimos laços,
lentamente?

E se pudesse voltar...
tanta tristeza.

Ramon Alcântara

____

Vida Carolina


Na sua escrita
eu consigo ver
nas suas palavras
faladas
no seu olhar
principia
o que ouço de você.

Na sua canção
eu posso escutar
nos seus toques
malvados
no seu mexer
cansado
"Eu quero amar!"

Pois de você
eu possuo um pouco
de você
eu construo um outro
eu.

Na sua pintura
atento a ouvir
nos seus dias
assim
na sua esperança
adia
o que quero dar.

No seu passo
aprendo olhar
na sua vida
Carolina
no seu querer
alegria
de eu te amar.

Pois de você
eu possuo um pouco
de você
eu construo um outro
eu.

Ramon Alcântara