(sem título)

escrevo o poema, enterro o poeta.
nesse verso, re-inverto-me.
poema inverso de mim.
é meu fim, a primeira estrofe.

eu convexo, funesto-lhe.
enterrado vivo, vivendo tido.
quarteto qualquer do soneto.

em cada palavra, virgulo-me.
é o ponto final, as rezas do funeral.
é o título. vala.





e as interjeições,
ah! as interjeições!

Ramon Alcântara