Blasfêmias

Ao contrário dos gases,
os Poetas não podem ser
nacionalizados.
Eles vazam de outros mundos
e sem limítrofes,
imaginárias são suas bandeiras.
Passam tão depressa e tão a ermo
que Deus
depois de infinitos dias
já passados
ainda não os criou.

Naqueles segundos,
sagrados insanos,
os tempos que produzem
eternidades in-localizáveis.
Seus sacrilégios:
não se calcular.

Ramon Alcântara