Rilke chega perto, entra e passa longe

Rilke chega perto, entra e passa longe
Eu fico bamba
na linha do horizonte.

Rilke escreve na linha e atrás
e diz nas páginas e entre elas
Eu viro bóia
nas águas dos ventos do folhear.

Rilke alcança
ou eu imagino?

Rilke alcança
e eu imagino.

Orfeu é Todo,
Tudo é Duíno.

Eu estou perdido
na quina da página,
mareado.

Rilke chega perto, entra e passa longe,
despaginado.


Ramon Alcântara